24 março 2016

Notas sobre a manhã de Outono

Meu amor é eterno.
Memória. Gênese. Mutação.
Temerosa tempestade de arco-íris.

Meu amor é o despertar
O abrir das cortinas em manhã de sol
É deixar-se invadir por calor

-----

Somos como a noite
Tempestiva toada dos ventos
Abraçamo-nos com olhos sedentos
Dançando com língua e dedos
Emaranhado de caos e intento.

ROMANI 

"Não há motivo para te importunar no meio da noite.
Como não há leite no frigorífico, nem um limite traçado para a solidão doméstica.
Tudo desaparece. Nada desaparece. Tudo desaparece
antes de ser dito 

e tu queres dormir descansada". José Luis Peixoto