18 fevereiro 2016

Doce timidez

Sua timidez-íntima-suave-delicada
invade os recônditos da minha animalidade secreta 
em espectros flutuantes-fulgás-fugidios 
que se multiplicam em tons coloridos dançantes 
cambaleantes recortes das nuvens do céu 

Mistérios povoam a doçura dos ventos 
que aliviam em brisa a face romântica 
apaixonada dos amantes, loucos aspirantes 

Poesia, flores, declarações
Sonhos enigmáticos 
Perdição. 
Encontramos-nos delirantes 
Na poesia, 
Em poesia,
Vem poesia. 

MASNAVI