23 dezembro 2015

Miragem

Pensei ter visto um rio. 
Um deleite de águas tranquilas, imponente, um fio. 
linhas tênues cheias de conexões com a vida, um rio. 
Turvas ondas delicadas, verde fio. 

Pensei ter visto a lua 
Refletindo no leito vazio, pedaço de chuva
prateada semente bolinha de lua 

Pensei ter visto meu corpo 
Livre coberto de sopro sendo levado à gosto 
Nu suave-potente entregue, verde fio

Pensei que tivesses lido o poema.  


Castro.