19 outubro 2015

Para: a cigana

Estirou os braços desenhados e amarrou alto na cabeça um coque. -solta ele, é bonito assim, eu disse. me olhou pensativa e disse que se gostava daquele jeito, presa, no alto da cabeça, pois pesquisara outros tipos de amarrar fios e o coque no cume do cranio era seu penteado preferido. gostava dos cabelos (e relacionamentos) longos num vermelho suave - a largura dos fios permitia a ela esticar nos olhos sua presença do presente até o futuro, e o vermelho suave a lembrava das vivências, das dores e a mantinha viva. -você fica linda de cabelo solto, solte ele pra mim, insisti. ela buscou mais um grampo na gaveta, me resmungou pra voltar daqui dez anos, e terminou de prender o fiozinho negro que se caía por trás da orelha.
Por: http://andarilhadeeu.blogspot.com.br/2015/10/pablo.html