21 abril 2015

Indianas

Vou encher meu coração 
com o silêncio fixo da tua força 
estremecendo as cordas que sustentam teu pescoço
ecoando tua voz distante 
aos dizeres que brotam 
à beira do malogro 

nascituros madurados das vicissitudes 
na sombra fazedoura
de tuas saias, 
de tuas flores,
de teus sorrisos 

desabrocham flor-de-lotus Grande Mãe
e vive. 
porque luta. 

A. Castro