13 agosto 2014

#31 - A idade de quebrar promessas

O cheiro da noite me parece conveniente para te procurar em segredo. Procurar-te no silêncio dos esconderijos da sombra e da escuridão, te procurar sorrindo ou dormindo. Te procurar com os eternos olhos tristes e cabisbaixos. Te procurar, querendo ser guia. Tornando a noite em pequenos focos de luz na imensidão. É impossível fingir que a noite não vem. É impossível fingir que as respostas fizeram sentido. Eu acredito no sentido. No que se sente quando imerso em si. Quem é você? - Me pergunto. O que é você? Quero saber toda a sua história do início ao fim. 
Pequeno animal da noite, não fuja. Fique. 

CASTRO