21 abril 2014

Mantra da ausência

Não irrigar a memória
Não irrigar a memória
Plástica da reprodução assistida

Não irrigar a memória
Não irrigar a memória
Desligar os sentidos para evacuar-se

Se for muito longe
Pode perder-se
Em infinitas linhas de projeções.

Em si.
Nunca vai encontrar-se

Infinitos, coloridos, balões. 

Aline Castro

13 abril 2014

Eu - O sexo

A luz que invade o chão da sala
Desenha sua silhueta nua e acinzentada
Enquanto ela imóvel, de quatro, lê o jornal .

Na sombra de sua vulva residem contornos assimétricos
de pequenos riachos  que derramam cremosidades
em gotas que escorrem de suas pernas.

Você,
Paisagem preta e branca
Do quadro estático do meu sexo
Que te engole enquanto pede
Por favor, por favor
Ofegante e suave
Lambendo-me a orelha
Fazendo-me multiplicar

Eu – O sexo.

MASNAVI 

Autumn

Wild horses through the window
Stand still in the glass 
The wild heart of a brave soul 
Come alone, with her past 

Home of brave, she said 
While shined her eyes of fear

Autumn
Autumn

Beautiful season to drop the leaf
While the trees dance in the wind
You...
You just stare at me.

Our secret is the art
We made freedom blow our hearts 

Autumn comes and left
It's just a season 
That comes along.

Is just a whistle
That chills our soul 

Please, please... 
She whispered so lovely. 

Aline Castro