13 janeiro 2014

Poema da Despedida #9

Ouço o lobo uivar inquietante na noite, farejando meus passos, seguindo-me silenciosamente e atravessando a porta que mantenho aberta à deriva, à espera. Reconheço esse som, esse cheiro, essa alma que conhece a cigana e que a reconheceu escorada no batente da porta olhando fixamente seus olhos castanhos com o coração na mão, sem medo, sem medo. E de passo em passo me tocou as pernas e fez surgir a luz dos espaços vazios e indivisíveis, sobressaltando os tons, as texturas, as imagens, a vida, a vida...


O que seria o amor senão esse perdão que procuro pela casa por ter desejado faze-la feliz. Não me perdoo pelo fracasso, pelo desespero e principalmente pelo medo constante que tenho das impermanências. Tento me perdoar por me sentir cortada pelo silencio triste da sua sala vazia e por achar-me razão de toda sua dor. Tento me perdoar por ter sentido o amor mais profundo quando sentei ao seu lado num bar, te estendi a mão e enxuguei o seu rosto enquanto ouvia seus medos, tento me perdoar por ser mulher, por ter entrado na sua vida sem ideia de que você não estava pronta. Eu também não estava, confesso. Mas quando é que estamos? Eu não estava pronta para ver tanta luz entrando, tanto desejo preenchendo o dia e a noite de imensos sonhos românticos e vontades de eternidade. Eu não estava pronta para querer ver minha casa cheia, meus compromissos a dois, minha porta aberta, uma nova vida, novas viagens, novos gostos culinários para curar-me de um paladar infantil. Um paladar infantil. Ninguém sabia cozinhar em casa, amor. Com muita paciência me alimentaram de mesmos elementos suaves e eu nunca reclamei. E mesmo não estando pronta para tanto enfrentamento, eu acordava todos os dias com vontade de mais e de fazer melhor, de ser melhor para mim, pra você e para todos que tocarem o meu mundo. E o que seria o amor senão essa sensação irremediável de querer ser melhor, de ver-se no outro e moldar-se junto, gerando frutos, mudando as estações. O que você me pediu, eu fiz. Deixei você sozinha para procurar sua felicidade. Eu parti quando você pediu. E não sai do lugar. 

Quando eu conseguir me perdoar, espero que me perdoe também. Perdoe-me por insistir. Eu realmente tenho uma fé indestrutível, mas neste caso era apenas amor. E amor deve ser vivido.