14 janeiro 2014

Poema da Despedida #10

Meus olhos são duas fontes infinitas
De longos rios que levam a vida
Arrastando troncos, minando em bicas
Jorrando água de suas idas

Meus olhos são transbordo
Catalisadores de beleza
São um campo de tristeza
São testemunhas da tua espera.

Meus olhos são dois pássaros
Dois amantes embaraçados
O nascer de mais um dia

O sonhar e a agonia