09 janeiro 2014

A Grande Beleza

Anônimos da grande beleza
Empilhados verticalmente sob cimento e cal
Congelam seus úteros
E abraçam o caos.

Lideram legiões de escapamentos
Retorcidos em cruzamentos
Rastejando, sem mais tempo
De sobreviver.

Conglomerado de passos apertados
Camisas abotoadas e olhares baixos
Desolamento e descompasso

O que há de nós neste espaço
Senão a sombra de um cansaço
O pós-morte dos acordados

Uma vida e um fracasso.

MASNAVI