29 janeiro 2014

#21

Tão cedo passa
Tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
E cala. O mais, é nada.

--

E o tempo. Este deus que tudo incorpora.
Solta ao vento a própria sorte.
Traz a vida, também a morte.

Nós que somos frutos fecundo do mundo
Trememos face aos caminhos
Lançamos nossa sorte ao destino
Nós tornamos inférteis e risíveis.

Morremos.
Morremos em si.
Calamos irresponsáveis.
Acovardamos o amor.


Tão cedo passa. 

MASNAVI