05 março 2012

Cento e um poemas de amor #4



Ouço sons
que me chamam
Pelo nome
do engano

Não me vê,
Inominável.
Não sou eu,
neste retrato.

Cala.
Essa vida contada,
Parece inventada.

Cala.
O que senti, o que sinto
Não se mede em escala

Pára.
Se há outro caminho
Terei de segui-lo,
Por uma outra estrada.

Fala.
Se houver infinito
O amor não se cala. MASNAVI