27 fevereiro 2012

Cem Anos de Solidão


Este silêncio tão primitivo,
deixa teus olhos, cada vez mais vivos
Teu corpo denso cala pedindo
o alimento da alma,
caindo do abismo. 

Masnavi