02 agosto 2011

A voz do coração



Epílogo: “Assustei você?”
          - “Não” (com olhos fortes e marejados)

O escuro.
O escuro dentro de mim,
Que se apaga
Cada vez que surge uma luz

Esta luz
Que é luz de salvação
Que é luz que afasta o breu
E que me diz
Que é a minha luz

Meu sangue derramado
Lentamente
E a vida sucumbindo
Tornando-se vida
Fazendo seus milagres
Salvando-me do meu próprio mal.

Dentro de todo Nada
que me dá a vida
sou também a morte.
Sou meu ser escuro
De escuridão.
MASNAVI