28 março 2011

Noites com Sol


Sem cálice, sem música
Envoltos na embriaguez
Desejo voraz de te ter
De fato, de quatro, num quarto,
Num mato, num chão.
Numa dança, sem ritmo,
Numa briga, num porão
Abro pernas, delicadas
Cheiro doce, de verão
Sua vulva, bem molhada
É a minha inspiração
Minha cabeça, entre as pernas
Encontra luz, na escuridão
Teu gemido, teu silêncio
Ofegante, meu coração
É a língua que dança solta
Em cada lábio com precisão
Procurando, teu gemido
Teu prazer e redenção.
Te lambendo, penetrando
Calmamente, com a mão
Te sentindo, te amando
Teu prazer, minha religião.

Beijo a nuca,
Teus sentidos
Teu seio rígido, a tua mão
Me abandono, me excito
É suave devoção

Minhas caricias, meus gemidos,
Teus silêncios e respiração
Derramando nosso liquido
Fundindo as almas na estação
Essa dança tão sublime
De suave percussão 

MASNAVI