06 maio 2010

Mãe

Quando nasce
Não se quer voar. Aprendemos a ser como.
Observamos atentos seus tons, suas cores vibrantes, seus afagos.
Quando nos deparamos com nossas...
Imensas asas,
Nos espelhos de sua face,
Não queremos mais voar.

Procuramos imensamente a maternidade
Entre nós.
Em mães que fomos, mães que somos, mães que perdemos, mães que nascem das mãos de quem não é mãe.
Procuramos imensamente o amor,
A felicidade, a proteção

Nestes caminhos giratórios,
Cheios de percalços, deixamos de sonhar com vôos.
Não queremos mais voar.
A vida nos permite abrir os olhos e ver;
Ver com olhos que enxergam de verdade

A felicidade encontra-se aqui,
Neste lugar
Em vôos mais altos e mais distantes;
Vá, minha borboleta, voe. 

MASNAVI