03 fevereiro 2010

Borboletas

Caminhou.
Parou.
Trouxe nas costas um saco,
Uma estopa
Milhares de borboletas coloridas
desprenderam-se e voaram

Giravam em piruetas circulares
jogavam-se do céu
e entrelaçavam-se em tranças,
traços.

Sentou
Deitou na grama
Viu um céu azul
A vida valia então a pena.

(Aline Castro)