07 janeiro 2010

Menina-Sem-Cabeça

E quantos quartos parcos
Formaram frascos translúcidos, largos
Opacos de verdes camadas
Claras
Como clarabóias gigantescas
No vasto lado
Onde havia muito
De nada

E a pequena menina, esperava
Um show de luzes
Claras,
Como caracóis, enroladinhos
Do lado do lago
Na mata.

Segurando o vidrinho
Frascos translúcidos,
Claros,
Brincando com a luz
Na água.

MASNAVI