20 outubro 2009

Poesia de Jardim


No vento que ceifa o frondoso tronco
Reúno folhas que banham o céu
Bebo da seiva, suave sangue
Toda beleza, que reina no mel.

Tua tez, palidez telúrica
Reinam fatos que banham a alma
Bebo do amor, seu sangue sagrado
Toda beleza, que reina no fel.

Meu corpo, cálice infinito
Reluzem vontades e desejos divinos
Bebo da luz, armadura etérea
Toda certeza, que reina em mim.


MASNAVI