13 outubro 2009

Composição


Traço a palavra como teia
Emaranhado de composições pretensiosas
Desenhando-se perfeitas.
O desejo é a rigidez de transpor
Sensações.
E assim segue.

Queria a poesia que calasse sua fome
Que silenciasse o medo e a saudade
Que anulasse a dor e a memória viva
Queria a poesia que te trouxesse acalanto
Que fizesse o sangue correr mais vibrante
Que lhe desse vida, quando é escuridão.
Que lhe olhasse nos olhos, quando ninguém mais o faz.
Que lhe pegasse nas mãos e te encostasse-se ao peito.
Que lhe fizesse sorrir e voar.

Então passo horas,
Papel em branco
Desconexo, vencido
Nada diz exatamente como é. MASNAVI