09 setembro 2009

Ramalhetes de flores aos Deuses

No fim da tarde
Com tiara de luz
A delicadeza sobrevoava
A casa
que se abria para mim

Palavras e conselhos
soavam sinfonias
de olhos onde tudo se recorda

suas mãos macias
Pareciam desertos de areia
infinitos
e eu caminhava nua
com os olhos fechados
Seguindo o cheiro de jasmim
(Jasmim)

E se forem estrelas?

Então tu me cobririas com teu manto cintilado
acariciando-me os cabelos claros
e trazendo-me ao teu peito em gratidão
Tua voz seria brisa
Refrescando-me a pele clara ...

E se for esperança?
No fim da noite
com tiara de luz
a delicadeza se reveste,
não se encontra
A casa
Tu me ajudas a abrir

E se formos infinitos?
(Tu estás aqui) - Menina, essa cabeça é só para usar chapéu de fitinhas. MASNAVI