13 agosto 2009

A poetisa pede silêncio

Hoje sou mina de ventos turvos
Riacho tranquilo, senil e soturno
Floresta em negro dia
de frio.

O silêncio cobre todos espaços vazios
de quem sou
e minha voz ecoa longe
as vontades da minha paixão.

A poetisa pede silêncio
Para morrer. - MASNAVI