02 agosto 2009

Palpitação

Não sou nada
Nunca serei nada
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Janelas do meu quarto
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém 
sabe quem é...

...Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade.
Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer.
E não tivesse mais irmandade com as coisas
Senão uma despedida, tornando-se esta casa e este lado da rua...

...Estou hoje perplexo, como quem pensou e achou e esqueceu (...)

FERNANDO PESSOA