21 agosto 2009

Carta de um marinheiro VI...

As ondas me chamam.
Como não tenho medo de muita coisa...
Vou.
Vou nadar com os fantasmas que riem de mim.
Vou cuspir em suas caras mórbidas e seus corpos imundos.
Vou defecar minhas vísceras e vou sair vivo.