03 agosto 2009

Ao vento...


Inabitada. Só reconheço meu nome pelo amor.
Só sei que existo, porque o sinto.
De outra maneira, é como se não existisse a mim.

E vou me abandonando, assim.
Vou me deixando ser invadida.
Vou voando para longe, tão perto de mim.
Algum dia, ei de contemplar-me, sentada.
Eis meu único Segredo.


MASNAVI